Novas estrelas no universo Bacalhôa

Bacalhôa

A marca Bacalhôa é fortemente associada à Península de Setúbal, mas na realidade, a empresa Bacalhôa Vinhos de Portugal está presente em 7 regiões vitivinícolas de Portugal, tendo uma aposta forte na Bairrada através da Caves Aliança adquirida em 2007, um dos produtores mais prestigiados dos espumantes e aguardentes, agora conhecido como Aliança Vinhos de […]

A marca Bacalhôa é fortemente associada à Península de Setúbal, mas na realidade, a empresa Bacalhôa Vinhos de Portugal está presente em 7 regiões vitivinícolas de Portugal, tendo uma aposta forte na Bairrada através da Caves Aliança adquirida em 2007, um dos produtores mais prestigiados dos espumantes e aguardentes, agora conhecido como Aliança Vinhos de Portugal. Por isto não é surpreendente o lançamento do novo vinho branco Bacalhôa 1931 Bical 2021, feito na Bairrada, surpreendente é o vinho em si.

A Quinta da Rigodeira, que pertence à Aliança, é localizada em pleno coração da Bairrada, entre Fogueira e Ancas e dentro do seu património vitícola possui uma parcela plantada em 1931, exclusivamente com castas brancas – Bical, Maria Gomes, Sercialinho, Cercial, Arinto, Rabo de Ovelha, Alicante e Chardonnay. De todas as castas o Bical pareceu mais interessante para fazer uma vinificação em separado, até porque já havia o histórico na quinta de a produzir como monovarietal.
Com produtividade muito reduzida, era pouquíssima a quantidade de uva que chegava à adega por dia. Tiveram que guardar no frio o mosto depois da cada prensagem para acumular a quantidade que desse para vinificar. Fizeram-se quatro vinhos: um totalmente em inox, duas barricas novas, duas barricas de segunda utilização e mais duas de terceira utilização para construir um lote final o mais complexo possível. O estágio durou um ano e depois de engarrafado em Setembro de 2022, o vinho ficou mais um ano em garrafa. A câmara de provadores da região atribuiu-lhe a designação Bairrada Clássico e fizeram-se apenas 2891 garrafas.

Os Moscateis da Bacalhôa são um caso à parte, com uma abordagem algo diferente da prática habitual na região. Para além da extensa maceração pelicular, que visa extrair mais aromas e até estrutura das películas das uvas, o vinho é submetido à variação térmica em estufa própria, com o objectivo de enriquecer mais a vertente aromática e concentrar açúcares e ácidos, resultando num produto final mais intenso e rico em todos os aspectos.
Mas antes de chegarmos a esta técnica, é importante mencionar que o Moscatel de Setúbal é um produto de terroir a 100%. A principal variedade é Moscatel de Alexandria, localmente conhecida como Moscatel de Setúbal. É uma casta de maturação tardia, plantada no solo argiloso e argilo-calcário das encostas da Serra da Arrábida virada a norte, por uma razão muito simples – todas as encostas viradas a sul, são escarpas – explica o coordenador da enologia da Bacalhôa Vasco Penha Garcia. Nestas condições, a uva normalmente é apanhada em Outubro, mas com 11-12% de álcool provável e ácidos bem presentes, o que acaba por garantir a frescura e contrabalançar o elevado teor de açúcar nestes vinhos generosos.
A casta Moscatel Roxo (uma mutação do Moscatel Galego) é uma uva rosada que amadurece cedo e é vindimada no início de Setembro. Produz vinhos generosos riquíssimos, mas há 20 anos estava em vias de extinção. A Bacalhôa Vinhos de Portugal, já tendo videiras dispersas desta casta em vinhas de Moscatel de Setúbal, promoveu o plantio das duas maiores vinhas de Moscatel Roxo da região.

MOSCATÉIS DE SONHO

O processo de vinificação é igual para ambos os vinhos e começa com uma breve maceração pelicular. A fermentação é interrompida com aguardente vínica de 77% (por opção da empresa, pois o regulamento dá liberdade de escolha de entre 52% e 86%). A maceração continua por vários meses, normalmente até à primavera. Durante este processo, a aguardente força a extracção, por isso não é raro sentir o tanino e um certo amargo que sensorialmente equilibra a doçura. Quando este processo finaliza com a prensagem e trasfega, começa uma nova fase em “estufa”, onde o vinho é submetido a uma amplitude térmica significativa. Na realidade, é uma variante do método de canteiro, utlizado na produção do Vinho da Madeira. A “estufa” da Bacalhôa é um armazém cuja construção com a cobertura baixa, permite grandes amplitudes de temperatura e humidade ao longo do ano. Assim, a temperatura varia de 56,7˚C em Julho até 5,6˚C em Janeiro e a humidade vai dos 100% na altura mais chuvosa até 10,9% no pico do verão. Neste armazém, os vinhos permanecem em pequenos barris de carvalho de 180 e 225 litros, muitos deles previamente usados para estagiar o vinho de Jerez e whisky de malte. Nunca sendo atestados, os vinhos demonstram uma grande concentração por evaporação.

Bacalhôa

É assim que são feitos o Moscatel de Setúbal 20 anos e Moscatel Roxo de Setúbal 20 anos. A designação Superior é atribuída quando um vinho, com mais de 5 anos de estágio, apresenta uma qualidade destacada. Existe mais uma particularidade que tem a ver com a visão da empresa – estes vinhos com indicação de idade, não representam um lote de vários anos. Na Bacalhôa, os Moscateis são sempre provenientes de um único ano, sendo este indicado no rótulo. Assim, o Moscatel de Setúbal 20 anos é de 2000 e o Moscatel Roxo de Setúbal 20 anos é de 2002. O produtor acredita que desta forma “conseguem proporcionar a pureza de um ano só”.

Este ano, em estreia absoluta foi apresentado o Bacalhôa Moscatel de Setúbal 40 anos de 1983, um licoroso de qualidade excepcional. Permaneceu os primeiros 20 anos da sua vida na Estufa nº 1 com grandes emplitudes térmicas e de humidade; em 2004 foi transferido para o Armazém das Selecções, com pé-direito mais alto, suavizando as variações da temperatura e promovendo, a partir deste ponto, um envelhecimento mais lento. Criou-se um vinho extraordinário, onde a riqueza e a concentração estão interligadas de tal ordem que o teor de açúcar de 324 g/l está em harmonia com a acidez de 8,1g/l e o pH 3,14 e o prazer sensorial que oferece está por cima de qualquer parâmetro técnico existente. Nesta edição ultra limitada foram para o mundo apenas 300 garrafas de 0,5L.

Quando será o próximo engarrafamento desta magnifica colheita de 1983, só o tempo dirá.

 

(Artigo publicado na edição de Dezembro de 2023)

Bacalhôa celebra 100 anos

Bacalhôa 100

Ao longo do ano de 2022, a Bacalhôa Vinhos de Portugal irá realizar um conjunto de iniciativas direccionadas a profissionais e consumidores, celebrando o 100 º aniversário daquela que é uma das maiores e mais dinâmicas empresas do sector do vinho em Portugal. A história da Bacalhôa Vinhos de Portugal iniciou-se em 1922, com a […]

Ao longo do ano de 2022, a Bacalhôa Vinhos de Portugal irá realizar um conjunto de iniciativas direccionadas a profissionais e consumidores, celebrando o 100 º aniversário daquela que é uma das maiores e mais dinâmicas empresas do sector do vinho em Portugal.

A história da Bacalhôa Vinhos de Portugal iniciou-se em 1922, com a fundação da firma João Pires & Filhos, empresa vocacionada para a comercialização a granel de vinhos por si produzidos a partir de uvas compradas na Península de Setúbal. 

No final dos anos 70, a empresa deu início a uma nova fase da sua história, marcada pela aposta na vinha e nas marcas próprias e, sobretudo, pelo extraordinário dinamismo e pioneirismo, com a produção de vinhos assentes em conceitos, perfis e técnicas nunca antes experimentados no nosso país. Assim nasceram marcas de grande singularidade e notoriedade, como Quinta da Bacalhôa, Catarina, Cova da Ursa Chardonnay ou JP, entre muitas outras. 

Um novo ciclo de crescimento e consolidação teve lugar a partir de 1998, com a compra da empresa por parte da família Berardo e, nos anos seguintes, a aquisição das emblemáticas Quinta da Bacalhôa, em Azeitão, Quinta do Carmo, em Estremoz, e Aliança, em Sangalhos, integradas depois no grupo Bacalhôa-Vinhos de Portugal, assim designado a partir de 2005. 

Bacalhôa 100
Palácio da Bacalhôa. ©Bacalhôa

Este ciclo ficou igualmente marcado por uma aposta no enoturismo. O Bacalhôa Buddha Eden, no Bombarral, o Aliança Underground Museum, em Sangalhos, o Palácio da Bacalhôa e a Adega Museu, em Azeitão, a Quinta do Carmo e o Museu Berardo Estremoz, nesta cidade alentejana, são referências nesta área.

Segundo comunicado da empresa, no ano em que celebra o seu centenário e inicia um novo ciclo, “o principal desafio é a implementação e consolidação do Projecto de Produção Sustentável iniciado em 2020. Acreditamos firmemente na enorme mais-valia da sustentabilidade, de forma transversal à nossa actividade.”

Não faltam, sem dúvida, motivos para comemorar 100 anos de uma vida empresarial associada a uma história feita de pioneirismo, criatividade e sucesso comercial. A Bacalhôa-Vinhos de Portugal anunciou que, ao longo de 2022, irá “celebrar o seu centenário com profissionais e apreciadores, através de diversos eventos e iniciativas, onde a cultura, a arte, a paixão e o vinho terão sempre lugar de destaque”.

Moscatéis portugueses voltam a brilhar no concurso Muscats du Monde

Muscats du Monde Moscatéis

Nos passados dias 7 e 8 de Setembro decorreu, na Occitânia (região do Sul de França), a 21ª edição do concurso internacional Muscats du Monde, no qual três Moscatéis de Setúbal e um Moscatel do Douro integraram o TOP 10: Bacalhôa Moscatel de Setúbal Superior 10 Anos 2004, Adega de Palmela Moscatel de Setúbal 10 […]

Nos passados dias 7 e 8 de Setembro decorreu, na Occitânia (região do Sul de França), a 21ª edição do concurso internacional Muscats du Monde, no qual três Moscatéis de Setúbal e um Moscatel do Douro integraram o TOP 10: Bacalhôa Moscatel de Setúbal Superior 10 Anos 2004, Adega de Palmela Moscatel de Setúbal 10 Anos, Venâncio da Costa Lima Moscatel Roxo de Setúbal Reserva da Família 2017; e Adega de Favaios Moscatel do Douro 2000.

Dos 19 países representados, Portugal conquistou um total de onze medalhas – seis de Ouro e cinco de Prata – nove das quais atribuídas a Moscatéis de Setúbal. Além dos Moscatéis já referidos, também os vinhos Venâncio da Costa Lima Moscatel de Setúbal Reserva 2009 e Adega de Favaios Moscatel do Douro obtiveram Ouro. Já os vinhos Adega de Palmela Moscatel de Setúbal 2018, Paço do Bispo Moscatel Roxo de Setúbal 2019, Casa Ermelinda Freitas Moscatel de Setúbal Superior 2009, Venâncio da Costa Lima Moscatel de Setúbal 2018 e Contemporal Moscatel Roxo de Setúbal receberam medalha de Prata.

Durante os dois dias do concurso Muscats du Monde, foram provados 182 moscatéis de todo o Mundo. O júri internacional atribuiu 60 medalhas, 35 de Ouro e 25 de Prata. 

Casal Mendes apresentou a sua nova imagem, ao pôr-do-sol

Casal Mendes nova imagem

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]Os vinhos e as sangrias Casal Mendes — produzidos pela Aliança Vinhos de Portugal, do grupo Bacalhôa — apresentaram-se ao Mundo, no dia 22 de Julho, com a nova imagem, no restaurante A Vela Branca, em Setúbal. O […]

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]Os vinhos e as sangrias Casal Mendes — produzidos pela Aliança Vinhos de Portugal, do grupo Bacalhôa — apresentaram-se ao Mundo, no dia 22 de Julho, com a nova imagem, no restaurante A Vela Branca, em Setúbal. O conjunto Casal Mendes é composto por Rosé, Vinho Verde Branco, Blue, Sangria Branca e Sangria Tinta, todos com um p.v.p. de €3,99 por garrafa.

Foi num sunset descontraído que as garrafas desfilaram pelos copos com a roupagem renovada, e onde se associou o conceito Casal Mendes a um momento “leve, autêntico e fresco, tal como os vinhos”, refere a Bacalhôa. 

Casal Mendes nova imagem

O evento da nova imagem Casal Mendes contou com música ambiente proporcionada pelo DJ Divenitto e, apesar de ter sido aberto ao público, mantiveram-se “as necessárias restrições devido ao contexto atual de pandemia, garantiu-se a circulação de pessoas na duração total do evento (16h às 20h), mantendo sempre uma dinâmica responsável”.

Fundada em 1927, em Sangalhos (Anadia), a Aliança detém marcas como Quinta dos Quatro Ventos (Douro), Quinta da Garrida (Dão), Quinta da Terrugem (Alentejo), Aliança Baga by Quinta da Dôna (Bairrada), espumantes Danúbio (Bairrada), entre outras.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][divider line_type=”Full Width Line” line_thickness=”1″ divider_color=”default”][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/3″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]

Siga-nos no Instagram

[/vc_column_text][mpc_qrcode preset=”default” url=”url:https%3A%2F%2Fwww.instagram.com%2Fvgrandesescolhas|||” size=”75″ margin_divider=”true” margin_css=”margin-right:55px;margin-left:55px;”][/vc_column][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/3″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]

Siga-nos no Facebook

[/vc_column_text][mpc_qrcode preset=”default” url=”url:https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fvgrandesescolhas|||” size=”75″ margin_divider=”true” margin_css=”margin-right:55px;margin-left:55px;”][/vc_column][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/3″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]

Siga-nos no LinkedIn

[/vc_column_text][mpc_qrcode url=”url:https%3A%2F%2Fwww.linkedin.com%2Fin%2Fvgrandesescolhas%2F|||” size=”75″ margin_divider=”true” margin_css=”margin-right:55px;margin-left:55px;”][/vc_column][/vc_row]

Histórica marca Casal Mendes apresenta nova imagem

Casal Mendes nova imagem

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text] A icónica e histórica marca — da Aliança Vinhos de Portugal — apresenta-se agora com nova imagem e garrafa. Casal Mendes, a gama conhecida pelo seu formato “abotijado”, está já este mês disponível no mercado sob […]

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]

A icónica e histórica marca — da Aliança Vinhos de Portugal — apresenta-se agora com nova imagem e garrafa. Casal Mendes, a gama conhecida pelo seu formato “abotijado”, está já este mês disponível no mercado sob o mote “Nova imagem, o teu Casal Mendes de sempre”, com uma garrafa mais alta e elegante, e rotulagem simples mas sofisticada. 

Esta revolução estética da gama Casal Mendes surge em linha com o mais recente e ambicioso plano de comunicação do Grupo Bacalhôa para 2021. Eduardo Medeiro, administrador do grupo, explica: “Com o objetivo de apelar a um público-alvo mais jovem, sofisticado e cosmopolita, inspirámo-nos na região Francesa Côte de Provence, no design das garrafas, assim como na elegância e simplicidade da rotulagem e comunicação dos seus vinhos”.

Todas as referências Casal Mendes — Rosé, Vinho Verde, Blue, Red, Sangria Branca e Sangria Tinta — podem ser facilmente encontradas com a nova imagem e p.v.p. de €3,99.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][divider line_type=”Full Width Line” line_thickness=”1″ divider_color=”default”][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/3″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]

Siga-nos no Instagram

[/vc_column_text][mpc_qrcode preset=”default” url=”url:https%3A%2F%2Fwww.instagram.com%2Fvgrandesescolhas|||” size=”75″ margin_divider=”true” margin_css=”margin-right:55px;margin-left:55px;”][/vc_column][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/3″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]

Siga-nos no Facebook

[/vc_column_text][mpc_qrcode preset=”default” url=”url:https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fvgrandesescolhas|||” size=”75″ margin_divider=”true” margin_css=”margin-right:55px;margin-left:55px;”][/vc_column][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/3″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]

Siga-nos no LinkedIn

[/vc_column_text][mpc_qrcode url=”url:https%3A%2F%2Fwww.linkedin.com%2Fin%2Fvgrandesescolhas%2F|||” size=”75″ margin_divider=”true” margin_css=”margin-right:55px;margin-left:55px;”][/vc_column][/vc_row]

Bacalhôa confirma produção média-alta para 2020, diz a Tecniferti

A Bacalhôa Vinhos de Portugal — que detém 1200 hectares de vinha no país, 500 dos quais na Península de Setúbal — estima que 2020 encerrará como “um ano vitícola de produção média-alta” e com “potencial para obter vinhos de boa qualidade”, na avaliação de João Canhoto (na foto), director de viticultura da Bacalhôa. Em […]

A Bacalhôa Vinhos de Portugal — que detém 1200 hectares de vinha no país, 500 dos quais na Península de Setúbal — estima que 2020 encerrará como “um ano vitícola de produção média-alta” e com “potencial para obter vinhos de boa qualidade”, na avaliação de João Canhoto (na foto), director de viticultura da Bacalhôa.

Em comunicado de imprensa, a Tecniferti — empresa que se dedica à produção e comercialização de fertilizantes líquidos — revela que a Bacalhôa trabalha há mais de doze anos com a sua gama de fertilizantes. João Canhoto confirma: “Uma das gamas que usamos nas nossas vinhas com resultados muito positivos é o Humigel Plus. Este produto forma um biofilme à volta da parra e dos bagos, ajudando a proteger a vinha das variações de temperatura. Também funciona como aderente dos produtos fitofarmacêuticos, aumentando a sua eficácia”. A Tecniferti descortina ainda que, na campanha de 2019/2020, a Bacalhôa aplicou cerca de 500 toneladas dos seus fertilizantes, nas vinhas das sete regiões onde está presente. “Gostamos dos produtos da Tecniferti e, além disso, em primeiro lugar optamos sempre por ter como fornecedores empresas portuguesas, quando elas merecem”, remata João Canhoto.

vinho da casa #29 – Quinta da Bacalhôa Cabernet Sauvignon tinto 2016

vinho da casa #8 – Catarina branco 2019

Frederico Falcão deixa Bacalhôa

Frederico Falcão, que desde Julho de 2018 desempenhava o cargo de administrador e CEO do grupo Bacalhôa, deixou de exercer as funções após cerca de um ano no cargo. Enólogo de formação, Frederico Falcão passou por várias empresas produtoras de vinho (Esporão, Companhia das Lezírias, Pegos Claros, Fundação Abreu Callado) antes de se tornar o […]

Frederico Falcão, que desde Julho de 2018 desempenhava o cargo de administrador e CEO do grupo Bacalhôa, deixou de exercer as funções após cerca de um ano no cargo. Enólogo de formação, Frederico Falcão passou por várias empresas produtoras de vinho (Esporão, Companhia das Lezírias, Pegos Claros, Fundação Abreu Callado) antes de se tornar o mais jovem presidente da história do IVV, cargo que ocupou entre 2012 e 2018 e de onde saiu para a Bacalhôa.

Segundo soubemos, a separação foi realizada por mútuo acordo e terá ficado a dever-se a diferenças de entendimento entre o ex-CEO e os accionistas do grupo sobre a orientação estratégica da empresa. A Bacalhôa Vinhos de Portugal, que detém, entre outras, as marcas Aliança, Quinta do Carmo e JP Azeitão, é uma das maiores casas vitivinícolas nacionais, com vinhas e adegas em cinco regiões demarcadas e uma sólida presença nos mercados de exportação. Segundo os mais recentes dados Nielsen, no retalho português (supers e hipermercados), a Bacalhôa é o terceiro produtor em volume de negócios (a seguir à Sogrape e à Adega de Pegões) e o JP Azeitão a marca mais vendida.

Após 40 anos, Mário Neves deixa a Aliança

Em comunicado oficial, o Grupo Bacalhôa deu notícia da saída de Mário Neves, reconhecido director de exportação da empresa. Aquele que foi um autêntico embaixador dos vinhos portugueses pelo mundo fora, dedica-se agora à família e “segundo prometeu, a escrever um muito esperado livro de memórias”: “Comunicamos que, a partir de 1 de Março de […]

Em comunicado oficial, o Grupo Bacalhôa deu notícia da saída de Mário Neves, reconhecido director de exportação da empresa. Aquele que foi um autêntico embaixador dos vinhos portugueses pelo mundo fora, dedica-se agora à família e “segundo prometeu, a escrever um muito esperado livro de memórias”:

“Comunicamos que, a partir de 1 de Março de 2019, o Dr. Mário Neves deixará de fazer parte da nossa equipa enquanto colaborador do Grupo Bacalhôa Vinhos de Portugal.
Na nossa perspectiva, o Mário foi sempre um membro extremamente valioso na nossa organização, altamente focado no negócio e capaz de cultivar fortes amizades em todos os quadrantes do planeta.
Traduzindo para dentro uma ideia do que de melhor se faz lá fora e lutando sempre, insistentemente, por ter melhores vinhos, melhores marcas, melhores estratégias de internacionalização, conquistando interna e externamente o respeito do trade, dos opinion makers, dos seus colegas e concorrentes, é provavelmente, e será por muitos anos, o “homem (Senhor) do vinho” português mais conhecido no estrangeiro.
Conhecendo minimamente o Mário, será expectável que continue bastante activo, de uma forma ou de outra ligado a um mundo que ajudou a moldar e que o moldou, o competitivo mundo dos vinhos, que sempre abraçou numa perspectiva global, culta e inteligente.
Com muita pena e com a nossa infinita gratidão, após mais de 40 anos de trabalho na Aliança, o Mário dedicar-se-á certamente à sua família, a viajar pelo mundo visitando amigos e vinhos, a praticar excitantes experiências eno-gastronómicas e segundo prometeu, a escrever um muito esperado livro de memórias.
Encosta-se uma porta, abrem-se outras mais, para que nos possamos sempre tornar a encontrar, com novas histórias e novos vinhos.”