Melhores vinhos do Douro Superior já são conhecidos

Concurso Vinhos Douro Superior

No âmbito da décima edição do Festival do Vinho do Douro Superior que, como habitualmente, aconteceu em Vila Nova de Foz Côa (de 26 a 28 de Maio de 2023), mais de 200 vinhos desta sub-região duriense foram submetidos a concurso. Em prova cega, um júri de 25 especialistas do sector — incluindo jornalistas e […]

No âmbito da décima edição do Festival do Vinho do Douro Superior que, como habitualmente, aconteceu em Vila Nova de Foz Côa (de 26 a 28 de Maio de 2023), mais de 200 vinhos desta sub-região duriense foram submetidos a concurso.

Em prova cega, um júri de 25 especialistas do sector — incluindo jornalistas e outros “wine writers”, sommeliers, compradores profissionais, entre outros — orientado por Luís Lopes, director editorial da Grandes Escolhas, elegeu os Melhores Vinhos nas categorias Branco, Tinto e Vinho do Porto e atribuiu medalhas de Ouro e de Prata. O Melhor Vinho Branco foi o Terras do Grifo Vinhas Velhas 2018, da Rozès; o Melhor Tinto coube ao Avô Escrivão Grande Reserva 2019, da Vinilourenço; e o Melhor Vinho do Porto foi o Quinta de Ervamoira Vintage 2020, da Ramos Pinto.

Esta foi a edição do Concurso de Vinhos do Douro Superior com mais vinhos inscritos de sempre, um record que toma ainda mais relevância porque, ao contrário do que é habitual neste tipo de concursos, para nesta competição os produtores inscrevem sobretudo os seus vinhos topo de gama. Tratando-se do Douro Superior, o conjunto integra alguns dos melhores e mais conceituados vinhos do país.

O Festival do Vinho do Douro Superior é um evento organizado pelo Município de Vila Nova de Foz Côa e produzido pela Grandes Escolhas.

Conheça todos os vinhos premiados na décima edição do Concurso de Vinhos do Douro Superior:

CATEGORIA “VINHO BRANCO”

Melhor Vinho
Terras do Grifo Vinhas Velhas 2018, Rozès

Medalha de Ouro
Crasto Superior 2021; Quinta do Crasto
Dona Berta Curtimenta Reserva 2020; H. & F. Verdelho – Dona Berta
Kaputt; Barão de Vilar
Quinta Vale d’Aldeia Grande Reserva 2020; Quinta Vale d’Aldeia
Soulmate Grande Reserva 2018; Cortes do Tua Wines
Vineadouro Special Edition 2021; Vineadouro

Medalha de Prata
Altitude by Duorum 2022; Duorum Vinhos
Colinas do Douro Reserva 2021; Colinas do Douro
Couquinho 1º Ensaio 2020; Quinta do Couquinho
Duvalley Reserva 2021; Sociedade Agrícola Castro de Pena Alba
Pai Horácio Grande Reserva 2021; Vinilourenço
Quinta da Bulfata 2020; Quinta da Bulfata
Quinta da Pedra Escrita 2021; Rui Roboredo Madeira Vinhos
Quinta da Silveira Reserva 2018; Sociedade Agrícola Vale da Vilariça
Quinta da Terrincha Reserva 2020; Quinta da Terrincha
Rebelo Afonso Reserva 2021; Casa Rebelo Afonso
Restrito Reserva 2021; Restrito
Souza Dias Moscatel do Douro 2006; Caves da Quinta do Pocinho
Valle do Nídeo 2022; Miguel Abrantes

CATEGORIA “VINHO TINTO”

Melhor Vinho
Avô Escrivão Grande Reserva 2019; Vinilourenço

Medalha de Ouro
Casa Ferreirinha Quinta da Leda 2019; Sogrape Vinhos
Castello D’Alba Limited Edition 2020; Rui Roboredo Madeira Vinhos
Cortes do Reguengo Premium 2018; Vinaze – Quinta do Reguengo
Cortes do Tua Reserva 2020; Cortes do Tua Wines
Crasto Superior Syrah 2020; Quinta do Crasto
Duas Quintas Reserva 2015; Adriano Ramos Pinto
Duorum Reserva 2019; Duorum Vinhos
Grandes Quintas Reserva 201; Casa D’Arrochella
Quinta da Touriga Chã 2020; Jorge Rosas
Quinta do Vesúvio 2020; Symington Family Estates
Selores Premium 2018; Viniselores
Vales Dona Amélia 2018; Gerações de Xisto

Medalha de Prata
Arribas do Côa Reserva 2018; Sotero Ferreira – Arribas do Côa
DA Dina Aguiar Grande Reserva 2018; Adão e Filhos
Fonte Videira Reserva 2020; Casa Agricola Quinta dos Lagares
Gravuras do Côa Grande Reserva 2019; Mateus & Sequeira Vinhos
Iter 2019; Duplo PR – Serviços de Enologia
Mix Grape Reserva 2019; Terraloga, Sociedade Agrícola
Montes Ermos Grande Reserva 2020; Adega Cooperativa de Freixo de Espada à Cinta
Muxagat Vinhas Velhas 2017; Muxagat
Palato do Côa Grande Reserva 2017; 5 Bagos
Quinta da Silveira Grande Escolha 2017; Sociedade Agrícola Vale da Vilariça
Quinta da Terrincha 2019; Quinta da Terrincha
Quinta das Mós Grande Reserva 2020; Mikael Monteiro Cabral
Quinta do Arnozelo Grande Reserva 2018; Sogevinus Fine Wines
Quinta do Couquinho Touriga Nacional Reserva 2020; Quinta do Couquinho
Quinta dos Romanos Reserva 2010; Maria Lucinda Todo Bom Damião Cardoso
Rasga Reserva 2019; Artur Rodrigues
Remisi’us Grande Reserva 2020; Valley & Co.
Roquette & Cazes 2019; Roquette & Cazes
Salgados Reserva 2021; Mário Salgado e Maria de Lurdes Salgado
Sebarigos Reserva 2019; Caves da Quinta do Pocinho
Vale da Teja Reserva 2019; Adega Cooperativa do Vale da Teja
Vale de Pios tinto 2017; Quinta Vale de Pios
Vale Marianes Reserva 2018; Rui Saraiva Caldeira
Vallado Douro Superior 2020; Quinta do Vallado
Vineadouro Vinhas Antigas 2019; Vineadouro

CATEGORIA “VINHO DO PORTO”

Melhor Vinho
Quinta de Ervamoira Vintage 2020; Adriano Ramos Pinto

Medalha de Ouro
Amável Costa Tawny 30 anos; Amável Costa
Burmester Tawny Porto Tordiz 40 anos; Sogevinus Fine Wines

Medalha de Prata
Burmester Tawny Porto 20 anos; Sogevinus Fine Wines
Cockburn’s Quinta dos Canais Vintage 2013; Symington Family Estates
Duorum LBV 2019; Duorum Vinhos
Palmer Vintage 2020; Barão de Vilar
Quinta do Grifo Vintage 2017; Rozès

Vila Nova de Foz Côa elegeu os melhores vinhos do Douro Superior

Foz Côa Vinhos

O Concurso de Vinhos do Douro Superior decorreu no passado fim de semana, no âmbito do Festival do Vinho do Douro Superior — organizado pelo Município de Vila Nova de Foz Côa e produzido pela Grande Escolhas —— organizado pelo Município de Vila Nova de Foz Côa e produzido pela Grande Escolhas — com 180 vinhos em […]

O Concurso de Vinhos do Douro Superior decorreu no passado fim de semana, no âmbito do Festival do Vinho do Douro Superior — organizado pelo Município de Vila Nova de Foz Côa e produzido pela Grande Escolhas —— organizado pelo Município de Vila Nova de Foz Côa e produzido pela Grande Escolhas — com 180 vinhos em competição, entre brancos, tintos e vinhos do Porto. Um júri composto por 33 especialistas e compradores profissionais escolheu os melhores, cujos resultados já foram apurados.

Os destaques vão para Quinta da Extrema Edição II, de Colinas do Douro Sociedade Agrícola, Quinta do Vesúvio 2019, da Symington Family Estates e Burmester Tawny 20 anos, da Sogevinus Fine Wines, nas categorias de vinhos brancos, vinhos tintos e vinhos do Porto, respectivamente.

Foram anunciadas 66 medalhas, 20 na categoria de brancos (6 Ouro e 14 Prata), 37 na categoria de tintos (14 Ouro e 23 Prata) e 9 na categoria de vinho do Porto (4 Ouro e 5 Prata).

“É importante que o esforço de inovação e qualidade que se está a fazer no Douro Superior chegue aos grandes centros urbanos através de eventos como este. O elevado número de medalhas atribuídas neste concurso prova bem a qualidade dos vinhos que aqui se estão a fazer”, afirma Luís Lopes, director da revista Grandes Escolhas.

Por sua vez, João Geirinhas, director do evento, salientou também a grande qualidade dos vinhos em competição, reconhecido por todos os jurados, e realçou o facto “desta competição ser provavelmente o concurso com o nível qualitativo mais alto de todos quanto se realizam em Portugal. Aqui, mesmo as grandes marcas, aquelas que nos habituámos a ver como ícones dos nossos vinhos, fazem questão de estar presentes e participar”.

Os resultados foram anunciados e os diplomas distribuídos no decorrer do evento, perante a natural expectativa dos produtores participantes e de muitos dos visitantes da feira.

Foz Côa Vinhos
9ºfestival do vinho de Foz Côa: Júri do Concurso

O Festival do Vinho do Douro Superior tem vindo a ganhar relevo, ano após ano, contribuindo para a afirmação da identidade do Douro Superior como um terroir de excelência para a produção de grandes vinhos.

PRÉMIOS DO CONCURSO DE VINHOS DO DOURO SUPERIOR

Prémio Melhores Vinhos

VINHOS BRANCOS

Medalhas de Ouro

Cadão PM Vinhas Velhas 2019 (Mateus & Sequeira Vinhos)

Crasto Superior 2020 (Quinta do Crasto)

Duvalley Grande Reserva 2014 (Quinta Picos do Couto)

Palato do Côa Reserva 2020 (5 Bagos)

Quinta da Sequeira Grande Reserva 2020 (Quinta da Sequeira)

Soulmate Curtimenta Grande Reserva 2020 (Cortes do Tua Wines)

Medalhas de Prata

Apaixonado Reserva 2020 (Ávidos Douro)

Bairro do Casal Reserva 2021 (José António Porfírio Ferronha)

CARM Gouveio 2019 (CARM)

Fraga Alta Reserva 2015 (Maria Lucinda Todo Bom Damião Cardoso)

Mapa Vinha dos Pais 2017 (Pedro Mário Batista Garcias)

Moinhos do Côa 2020 (Artur Adriano Proença Rodrigues)

Muxagat 2021 (Muxagat Vinhos)

Quinta da Silveira Colheita 2019 (Sociedade Agrícola Vale da Vilariça)

Quinta dos Castelares Reserva 2020 (Casa Agrícola Manuel Joaquim Caldeira)

Rebelo Afonso Reserva 2019 (Casa Rebelo Afonso)

Usufrui Lote 2 2020 (Recantos do Vinho)

Vale Marianes 2019 (Rui Saraiva Caldeira)

Vales Dona Amélia 2021 (Gerações de Xisto)

Vineadouro Rabigato 2020 (Vineadouro Boutique Wines)

VINHOS TINTOS

Medalhas de Ouro

Anónimo 2015 (Ávidos Douro)

Quinta da Leda 2018 (Sogrape Vinhos)

Castello D’Alba Superior 2020 (Rui Roboredo Madeira, Vinhos)

Crasto Superior 2018 (Quinta do Crasto)

Dona Emerenciana Grande Reserva Sousão 2018 (Adão e Filhos)

Duorum Reserva 2018 (Duorum Vinhos)

Estrela do Peredo 2019 (Pedro Bustorff Ferreira)

Insuspeito Grande Reserva 2018 (Vinilourenço)

Quinta da Touriga Chã 2019 (Jorge Rosas)

Burmester Quinta do Arnozelo Grande Reserva 2017 (Sogevinus Fine Wines)

Quinta Vale D’Aldeia Grande Reserva 2019 (Quinta Vale D’Aldeia)

Soulmate Grande Reserva 2019 (Cortes do Tua Wines)

Valle do Nídeo Superior tinto 2015 (Miguel Abrantes Vinhos)

ZOM Colecção 2016 (Barão de Vilar Vinhos)

Medalhas de Prata

Quinta de Ervamoira 2019 (Adriano Ramos Pinto Vinhos)

Quinta do Couquinho Reserva Touriga Nacional 2019 (Quinta do Couquinho – Sociedade Agrícola)

Móos – Vinha Sambado Grande Reserva 2019 (Família Polido)

Salgados Douro Reserva 2019 (Mário José Pinto Salgado e Maria de Lurdes Pinto Maximino Salgado)

Pai Horácio Grande Reserva 2018 (Vinilourenço)

Remisi´us Grande Reserva 2019 (Valley Co)

Quinta da Pedra Escrita Reserva 2017 (Rui Roboredo Madeira, Vinhos)

Golpe Reserva 2019 (Manuel Carvalho Martins)

Vale da Veiga Reserva tinto 2016 (Vale da Veiga)

Quinta da Sequeira Grande Reserva 2017 (Quinta da Sequeira)

Dona Berta Tinto Cão Reserva 2018 (H. & F. Verdelho – Vinhos Dona Berta)

Quinta do Ataíde Vinha do Arco 2016 (Symington Family Estates, Vinhos)

Rebelo Afonso Grande Reserva 2015 (Casa Rebelo Afonso)

Selores Premium 2017 (Viniselores)

Palato do Côa Reserva 2018 (5 Bagos)

Xaino Selection 2019 (Quinta Vale D’Aldeia)

Villarôco Grande Reserva 2018 (José Carlos Pereira Côrte Real)

Duvalley Grande Reserva 2015 (Quinta Picos do Couto)

Quinta da Silveira Reserva 2015 (Sociedade Agrícola Vale da Vilariça)

Quinta Morena Colheita 2017 (Quinta Morena, Sociedade Agrícola)

Quinta dos Romanos 2017 (Maria Lucinda Todo Bom Damião Cardoso)

Quinta das Mós Grande Reserva 2019 (Mikael Monteiro Cabral)

Gerações de Xisto 2019 (Gerações de Xisto)

VINHOS DO PORTO

Medalhas de Ouro

Amável Costa White 20 Anos (Agostinho Amável Costa)

Quinta de Ervamoira Vintage 2017 (Adriano Ramos Pinto Vinhos)

Quinta do Grifo Vintage 2019 (Rozès)

Cockburn’s Quinta dos Canais Vintage 2010 (Symington Family Estates)

Medalhas de Prata

Burmester Quinta do Arnozelo Vintage 2019 (Sogevinus Fine Wines)

Quinta da Silveira Ruby Reserva (Sociedade Agrícola Vale da Vilariça)

Amável Costa Vintage 2017 (Agostinho Amável Costa)

Vale da Teja Ruby Reserva (Adega Cooperativa do Vale da Teja)

Maynard’s Organic Wine LBV 2017 (Barão de Vilar Vinhos)

Concurso de Vinhos do Douro Superior: O afirmar dos vinhos do Douro Superior

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]Foram mais de 170 os vinhos presentes à oitava edição do Concurso de Vinhos do Douro Superior. Um nível médio bastante elevado aliou-se a uma grande diversidade de produtores, muitos deles estreantes nestas andanças, e oriundos de […]

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]Foram mais de 170 os vinhos presentes à oitava edição do Concurso de Vinhos do Douro Superior. Um nível médio bastante elevado aliou-se a uma grande diversidade de produtores, muitos deles estreantes nestas andanças, e oriundos de todos os concelhos da sub-região.

TEXTO António Falcão
FOTOGRAFIAS Mike the Axe

Trinta e cinco provadores reuniram-se num sábado de manhã no Centro de Exposições de Vila Nova de Foz Côa, mais conhecido como Expocôa. Estava para começar a oitava edição do Festival do Vinho do Douro Superior, e este concurso é a primeira iniciativa integrada no conjunto de acções deste festival. A organização do concurso coube mais uma vez à equipa da Grandes Escolhas. A direcção técnica ficou com Luis Lopes, director da revista e técnico com mais de 30 anos de experiência. Como dissemos, participaram no concurso mais de 170 vinhos, mas é fantástico notar, que só nos brancos e tintos, eram 85 os vinhos que ostentavam o designativo Reserva e 25 os que tinham no rótulo “Grande Reserva”. Pelo meio, alguns ‘Grande Escolhas’ e outros nomes a designar, embora não oficialmente, que eram vinhos de excepção na gama de cada produtor. Um nível muito alto, portanto, e foram vários os vinhos que raramente, ou nunca, participam em concursos. Apesar da prova ser cega, os 35 jurados pressentiram a qualidade – ou não sejam eles gente muito habituada a provar – e as notas médias foram muito altas. Com a escala de 0 a 20, abundaram classificações acima dos 18 valores, normalmente entregues apenas vinhos de muito alto nível. No painel de jurados estavam jornalistas e bloggers especializados, sommeliers e proprietários de garrafeiras.
Numa primeira fase, depois de todos os vinhos provados, foram escolhidos os três melhores em cada categoria para passarem depois a uma finalíssima. Aqui, todos os vinhos foram provados pelos 35 jurados e desta votação emergiram os três grandes vencedores.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][image_with_animation image_url=”40344″ alignment=”” animation=”Fade In” border_radius=”none” box_shadow=”none” max_width=”100%”][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]O grande vencedor nos brancos foi o Quinta da Pedra Escrita 2017, do enólogo/produtor Rui Roboredo Madeira. Este vinho segue, aliás, uma já histórica linha de brancos a ganhar fama todos os dias. Nos tintos, a palma coube ao Crasto Superior Syrah 2016, a operação do Douro Superior da Quinta do Crasto. Embora seja relativamente rara no Douro, a casta Syrah dá-se aqui muito bem e já não é a primeira vez que este vinho sobressai em concursos, sendo inclusive repetente no pódio. Finalmente, nos Vinhos do Porto, o Prémio para Melhor Vinho foi para o Quinta do Grifo Vintage 2016, da Rozès, que saiu vencedor da disputa com tawnies, LBV e Vintages de superior qualidade. Nota especial para esta casa, que colocou vinhos com altas classificações e medalhas de ouro em todas as categorias: está-se a trabalhar muito bem na Rozès.
Escolhidos os Melhores Vinhos, coube a vez de designar as medalhas de ouro e prata, que detalhamos a seguir. Refira-se ainda que a entrega de prémios decorreu no recinto do próprio Festival do Vinho do Douro Superior.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column centered_text=”true” column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][nectar_animated_title heading_tag=”h6″ style=”hinge-drop” color=”Accent-Color” text=”MELHORES VINHOS”][divider line_type=”No Line” custom_height=”20″][vc_text_separator title=”MEDALHA DE OURO VINHO BRANCO”][vc_column_text]

Duas Quintas Reserva 2017 (Adriano Ramos Pinto Vinhos)
Duvalley Grande Reserva 2012 (Quinta Picos do Couto)
Montes Ermos Grande Reserva 2016 (Adega Cooperativa de Freixo de Espada à Cinta)
Quinta da Sequeira Grande Reserva 2015 (Quinta da Sequeira)
Quinta Vale d’Aldeia Grande Reserva 2015 (Quinta Vale d’Aldeia)
Terras do Grifo Grande Reserva 2016 (Rozès)

[/vc_column_text][divider line_type=”No Line” custom_height=”20″][vc_text_separator title=”MEDALHA DE PRATA VINHO BRANCO”][vc_column_text]

Duas Quintas Reserva 2017 (Adriano Ramos Pinto Vinhos)
Duvalley Grande Reserva 2012 (Quinta Picos do Couto)
Montes Ermos Grande Reserva 2016 (Adega Cooperativa de Freixo de Espada à Cinta)
Quinta da Sequeira Grande Reserva 2015 (Quinta da Sequeira)
Quinta Vale d’Aldeia Grande Reserva 2015 (Quinta Vale d’Aldeia)
Terras do Grifo Grande Reserva 2016 (Rozès)

[/vc_column_text][divider line_type=”No Line” custom_height=”20″][vc_text_separator title=”MEDALHA DE OURO VINHO TINTO”][vc_column_text]

Medalha de Ouro (2 PR Grande Reserva tinto 2015 (Duplo PR – Serviços de Enologia)
Cabeça de Gaio Grande Reserva 2015 (Quinta & Casa das Hortas, Soc. Agr. e Comercial)
Casa Ferreirinha Quinta da Leda 2016 (Sogrape Vinhos)
Montes Ermos Grande Reserva 2014 (Adega Cooperativa de Freixo de Espada à Cinta)
Palato Reserva 2015 (5 Bagos)
Quinta da Silveira Grande Escolha 2011 (Sociedade Agrícola Vale da Vilariça)
Quinta da Touriga Chã 2016 (Jorge Rosas Vinhos)
Quinta Daniel Reserva 2013 (H. Abrantes Douro Wines)
Quinta do Couquinho Reserva 2016 (Quinta do Couquinho – Sociedade Agrícola)
Quinta do Vesúvio 2016 (Symington Family Estates)
Quinta dos Romanos Reserva 2016 (Maria Lucinda Todo Bom Damião Cardoso)
Terras do Grifo Vinhas Velhas 2014 (Rozès)

[/vc_column_text][divider line_type=”No Line” custom_height=”20″][vc_text_separator title=”MEDALHA DE PRATA VINHO TINTO”][vc_column_text]

Casa da Palmeira Reserva 2014 (Manuel Joaquim Pinto)
Dona Berta Tinto Cão Reserva 2013 (H&F Verdelho)
Dona Berta Sousão Reserva 2015 (H&F Verdelho)
Fronteira Grande Reserva 2015 (Casa Agrícola Manuel Joaquim Caldeira)
Fronteira Reserva 2016 (Casa Agrícola Manuel Joaquim Caldeira)
Holminhos 2015 (Quinta Holminhos)
Insuspeito Grande Reserva 2015 (Vinilourenço)
Mapa Grande Reserva 2015 (Costa Garcias)
Mapa Reserva Especial 2016 (Costa Garcias)
Moinhos do Côa Reserva 2015 (Artur Adriano Proença Rodrigues)
Pai Horácio Grande Reserva 2015 (Vinilourenço)
Pombal do Vesúvio 2017 (Symington Family Estates)
Quinta da Bulfata Touriga Nacional Reserva 2015 (Quinta da Bulfata)
Quinta da Extrema Edição II 2016 (Colinas do Douro Sociedade Agrícola)
Quinta da Sequeira Grandes Reserva 2015 (Quinta da Sequeira)
Quinta das Mós Reserva 2016 (Mikael Monteiro Cabral)
Quinta do Couquinho 2016 (Quinta do Couquinho – Sociedade Agrícola)
Quinta dos Castelares Grande Reserva 2015 (Casa Agrícola Manuel Joaquim Caldeira)
Quinta de Vila Maior 2014 (Manuel Joaquim Pinto)
Rebelo Afonso Reserva 2016 (Casa Rebelo Afonso)
Remisi’us Grande Reserva 2017 (Valley Co)
Remisi’us Reserva 2016 (Valley Co)
Selores Premium 2014 (Viniselores)
Zom Reserva 2015 (Barão de Vilar Vinhos)

[/vc_column_text][divider line_type=”No Line” custom_height=”20″][vc_text_separator title=”MEDALHA DE OURO VINHO PORTO”][vc_column_text]

Porto Sequeira Vintage 2017 (Quinta da Sequeira)
Quinta do Vesúvio Vintage 1999 (Symington Family Estates)
Quinta do Vale Meão Vintage 2017 (F. Olazabal & Filhos)
Burmester Quinta do Arnozelo Vintage 2012 (Sogevinus Fine Wines)

[/vc_column_text][divider line_type=”No Line” custom_height=”20″][vc_text_separator title=”MEDALHA DE OURO VINHO PORTO”][vc_column_text]

Maynard’s Vintage 2017 (Barão de Vilar Vinhos)
Dona Antónia Reserva Tawny (Sogrape Vinhos)
Ramos Pinto LBV 2014 (Adriano Ramos Pinto Vinhos)
Burmester Tawny 20 Anos (Sogevinus Fine Wines)

 

 

Edição Nº26, Junho 2019

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column centered_text=”true” column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][/vc_column][/vc_row]

O fantástico Douro Superior

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]Não é fácil acreditar que foram cerca de dez mil as pessoas que passaram pelo Centro de Congressos de Vila Nova de Foz Côa, durante os três dias em Maio 2019. Mas é um facto: o Festival […]

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]Não é fácil acreditar que foram cerca de dez mil as pessoas que passaram pelo Centro de Congressos de Vila Nova de Foz Côa, durante os três dias em Maio 2019. Mas é um facto: o Festival do Vinho do Douro Superior vai ganhando cada vez mais adeptos, que vêm fruir de um conjunto de iniciativas ligadas aos vinhos e à gastronomia.

TEXTO António Falcão e Fernando Melo
FOTOGRAFIAS Mike The Axe

Nunca como até agora houve tanto e bom vinho na sub-região do Douro Superior, a porção mais encostada a leste, que tem um clima e uma fisionomia tão particular. Por aqui a capital é Vila Nova de Foz Côa, cujo município luta contra a desertificação e aposta na fileira do vinho, aquela que mais alegrias tem dado ao concelho. De facto, todos os anos, desde 2012, ano em que se celebrou a primeira edição, que novos produtores têm aparecido neste certame, indicando que existe de facto uma aposta na vinha e no vinho. Nem todos são grandes, poucos são conhecidos, mas todos são, segundo o presidente da Câmara, Gustavo Duarte, “muito bem-vindos”. Gustavo e a sua equipa são os grandes mentores e entusiastas deste evento desde o seu início e foi graças à sua perseverança que Foz Côa se estabeleceu como a capital do Douro Superior.
Voltando ao evento, esta oitava edição do ‘Festival do Vinho do Douro Superior’ (FVDS) decorreu, mais uma vez, durante três dias bastante intensos, com um número recorde, tanto de expositores (83), como de visitantes, com perto de 10.000 entradas registadas. Mais do que números, importa destacar a confirmação da qualidade tanto dos vinhos como dos sabores do Douro Superior e da dinâmica que esta sub-região atravessa, traduzida no aumento, ano após ano, do número de produtores e de marcas lançadas no mercado. Se o FVDS pode ser considerado um bom barómetro da realidade económica local, os tempos correm de feição para o Douro Superior.
O crescimento do Festival corre a par com o aumento de interesse que o mesmo suscita, muito para além dos limites geográficos da sub-região. Para os produtores presentes tem sido especialmente importante a visita de media, compradores, negociantes, restaurantes e lojas de vinho de todo o país, que aqui vêm procurar vinhos diferenciados e de forte carácter: tanto os brancos frescos e vibrantes, como os tintos frutados e encorpados.

Quatro provas comentadas
Como habitualmente, o FVDS contou com um conjunto de actividades que se estenderam pelos três dias. A começar pelas provas de vinhos e azeites – comentadas por especialistas e com lotação esgotada. A primeira coube a Fernando Melo, colaborador da Vinho Grandes Escolhas, que falou sobre “Grandes tintos do Douro Superior”. Nos copos dos presentes, um belíssimo portefólio de vinhos que a todos deleitou. Da mesma forma, mas no dia seguinte, Valéria Zeferino comentou um belo conjunto de “Grandes brancos do Douro Superior”. Um pouco mais tarde, o especialista Francisco Pavão explicava uma série de “Azeites do Douro Superior e Trás-os-Montes”. No último dia, Luis Lopes iria mostrar um fantástico conjunto de Vinhos do Porto.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_gallery type=”nectarslider_style” images=”40335,40334,40332,40331,40337″ bullet_navigation_style=”see_through” onclick=”link_no”][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]Colóquio define Foz Côa como ponto de convergência
O tradicional colóquio de Sábado começou com o discurso inaugural de Gustavo Duarte, presidente da câmara, reforçando à cabeça o protagonismo crescente que o concelho está a ter em termos das proximidades: geográfica, social, cultural, gastronómica e vínica. Conseguiu-se, de facto este ano um conjunto notável de palestrantes, coroado pelo Embaixador Francisco Seixas da Costa, diplomata experiente e apaixonado pelo Douro. Gonçalo Correia dos Santos, proprietário do operador Pipadouro – Vintage Wine Travel – trouxe a sua experiência no terreno adquirida pelo contacto com o reticulado mais fino do vale do Douro, mostrando como é possível chegar a uma oferta de classe mundial mobilizando localmente os recursos disponíveis e ainda pouco explorados. Bruno Navarro, presidente da Fundação Côa Parque trouxe a proximidade cultural para o debate, mostrando numa apresentação vibrante como o Museu do Côa se está a assumir como plataforma de valorização de recursos endógenos ao serviço da região, do país e do mundo. A colocação em rede tem sido crucial para o êxito do projecto, que sem dúvida conhece nova fase com a sua direcção. A vinda dos chefs e irmãos Óscar e António Gonçalves, do restaurante G Pousada, em Bragança, para partilhar o que foi ganhar uma estrela Michelin num território marcado pela interioridade e distância do eixo atlântico, e de como tudo nasceu há muito tempo, crescendo de forma sustentada. Ficou a arte de ser português bem patente, talento e trabalho aliados a uma vontade férrea, como exemplo de que no tempo certo consegue subir-se bem alto. Os enólogos e sócios Celso Pereira e Jorge Alves, dos vinhos Quanta Terra, contribuíram com uma visão muito própria, inovadora e científica dos vinhos de altitude e do muito que há ainda para desbravar em termos de património vitícola, castas autóctones e perfis de solo únicos no mundo. O período de debate seguiu-se à reflexão de Francisco Seixas da Costa, que viajou livremente pelo território, história e estórias, que no fundo exprimiam no conjunto as diversas proximidades que Foz Côa personifica. A mobilização dos produtores de vinhos do Douro tem crescido, deseja-se maior, o evento oferece justamente a melhor plataforma para que isso aconteça.
Ao lado do auditório, terminava o concurso de vinhos, de que falaremos nas páginas a seguir.

 

Edição Nº26, Junho 2019

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]