aCRESCEnta – o Programa de Desenvolvimento Local da Menin

Esta edição foi dedicada ao tema “Enoturismo - Veículo para o Crescimento da Região” onde vários oradores partilharam a sua visão sobre o tema: Alexandre Sousa Guedes, Director Turismo, UTAD, Susana Martins, Directora, Associação de Turismo do Porto, Paulo Osório da APENO, Vasco Parente, Director do Vila Galé Douro Vineyards e Cristiano Gomes, Administrador da Menin Wine Company.

A paixão imediata pela Região do Douro levou Rubens Menin e Cristiano Gomes, os dois empresários, a criar a Menin Wine Company em 2018. Esteve sempre nos seus planos produzir grandes vinhos nesta Região. Apesar deste propósito, quase missão, a actuação desta Empresa não se resume em elaborar vinhos de grande nível, mas também contribuir […]

A paixão imediata pela Região do Douro levou Rubens Menin e Cristiano Gomes, os dois empresários, a criar a Menin Wine Company em 2018. Esteve sempre nos seus planos produzir grandes vinhos nesta Região. Apesar deste propósito, quase missão, a actuação desta Empresa não se resume em elaborar vinhos de grande nível, mas também contribuir para a valorização destes territórios, com processos alicerçados na sustentabilidade ambiental e sobretudo na sustentabilidade social. É sobre este último objetivo que, no passado mês de abril, apresentaram no Museu do Douro, Peso da Réguaa, o projeto de responsabilidade social – “aCRESCEnta – o Programa de Desenvolvimento Local”. Esta edição foi dedicada ao tema “Enoturismo – Veículo para o Crescimento da Região” onde vários oradores partilharam a sua visão sobre o tema: Alexandre Sousa Guedes, Director Turismo, UTAD, Susana Martins, Directora, Associação de Turismo do Porto, Paulo Osório da APENO, Vasco Parente, Director do Vila Galé Douro Vineyards e Cristiano Gomes, Administrador da Menin Wine Company.

Imbuídos de espírito altruísta que já praticavam no Brasil, de onde são oriundos, criaram este programa dirigido a instituições (públicas ou privadas) e pessoas em nome individual com projectos de valor comprovado em prol do desenvolvimento social, económico e cultural da região, com foco nos municípios de Santa Marta de Penaguião, Sabrosa e Vila Real. Candidataram-se e venceram os projectos que contribuíram para a melhoria do nível de vida da comunidade e da região, com realce para a fixação de novas gerações ao território: Associação da Região do Douro para Apoio a Deficiente (tem por missão transmitir valores e competências que promovam a inserção activa das pessoas com deficiência); Associação O Baguinho (IPSS com as valências de creche e pré-escolar);
Associação Cultural e de Melhoramentos de Donelo do Douro (promove apoio a todos os privados de meios de subsistência no lugar de Donelo); Associação de Paralisia Cerebral de Vila Real (tem como objetivo a reabilitação, apoiando pessoas com deficiência e incapacidade para que possam realizar actividades de vida diária); Projeto Do Douro Sem Ouro, da Galafura (na vila não existe parque infantil ou centro de dia, mas existe o sonho de criar um local onde se promova o convívio social e onde as crianças possam crescer saudáveis).

Para além destes apoios sociais, a Menin Wine Company promove processos de contratação prioritários para os durienses, contribuindo para a valorização das pessoas e das comunidades locais, para a inovação das profissões no âmbito do enoturismo permitindo que os jovens se fixem no território. De forma muito convicta e segura, Cristiano Gomes, Administrador da Menin Wine Company, afirma que a empresa veio para a região não para “se servir do Douro, mas para servir o Douro”. Nas suas palavras, “para perceber o Douro e defender o Douro, é necessário sentir o Douro, a região mais importante do mundo em beleza e história”. Agostinho Peixoto

Campanha de recolha de rolhas planta 5704 árvores na Arrábida

A segunda edição da campanha “Vinhos que vão bem com o ambiente”, organizada, de 5 de junho a 31 de outubro de 2023, pelos produtores da José Maria da Fonseca Distribuição (José Maria da Fonseca, Ravasqueira, Lima & Smith e Quinta da Lagoalva), vai plantar 5.704 árvores autóctones no Parque Natural da Arrábida. Durante os […]

A segunda edição da campanha “Vinhos que vão bem com o ambiente”, organizada, de 5 de junho a 31 de outubro de 2023, pelos produtores da José Maria da Fonseca Distribuição (José Maria da Fonseca, Ravasqueira, Lima & Smith e Quinta da Lagoalva), vai plantar 5.704 árvores autóctones no Parque Natural da Arrábida.

Durante os cinco meses em que decorreu, diversos supermercados disponibilizaram mini rolhões para os clientes levarem para casa, depositarem rolhas de cortiça usadas e devolverem cheios às lojas. A entrega era ilimitada, permitindo, aos participantes, contribuir várias vezes. Para cada conjunto de 10 rolhas de cortiça recolhidas, uma árvore seria plantada.

A iniciativa conseguiu arrecadar um total de 57.004 rolhas de cortiça. Como resultado, serão plantadas 5.704 árvores de diversas espécies, incluindo amieiros, azinheiras, bordos, carvalhos, freixos, lódãos, loureiros, medronheiros, pilriteiros e salgueiros.

“Na José Maria da Fonseca, estamos comprometidos, não apenas com a excelência dos nossos vinhos, mas também com a sustentabilidade e o respeito pelo ambiente”, explica António Maria Soares Franco, co-CEO da José Maria da Fonseca, a propósito da iniciativa, afirmando que acredita “firmemente, ser possível produzir vinhos de alta qualidade de forma responsável e ecológica”. Para este responsável, “a campanha ‘Vinhos que vão bem com o ambiente’ reflete esse compromisso”, destacando os esforços que a sua empresa para reduzir o seu impacto ambiental e promover práticas sustentáveis em toda a cadeia de produção. Pelo segundo ano consecutivo, “os resultados alcançados na recolha de rolhas de cortiça irão contribuir para a reflorestação de uma zona protegida que nos é tão querida e familiar”, diz ainda António Maria Soares Franco.

SOGRAPE DISTINGUIDA COM CERTIFICAÇÃO DE SUSTENTABILIDADE

A Sogrape foi distinguida com a Certificação de Sustentabilidade concedida pela ViniPortugal, que reconhece e confirma o empenho da empresa em promover práticas responsáveis em todas as regiões nacionais onde produz vinho. A Certificação de Sustentabilidade do Setor Vitivinícola é transparente e independente e baseia-se em auditorias realizadas por organismos acreditados. Nelas é avaliada a […]

A Sogrape foi distinguida com a Certificação de Sustentabilidade concedida pela ViniPortugal, que reconhece e confirma o empenho da empresa em promover práticas responsáveis em todas as regiões nacionais onde produz vinho.
A Certificação de Sustentabilidade do Setor Vitivinícola é transparente e independente e baseia-se em auditorias realizadas por organismos acreditados. Nelas é avaliada a gestão sustentável da organização e o seu compromisso em relação à produção sustentável de vinhos de qualidade.
Estabelecido para garantir a credibilidade e confiabilidade dos vinhos portugueses nos mercados internacionais, o processo envolve todos os temas ligados à sustentabilidade e inclui 86 indicadores distintos em termos ambientais, sociais e económicos, que foram avaliados em todas as áreas e mais de 30 instalações da Sogrape, através de auditorias realizadas pela Certis – Controlo e Certificação.
Para Mafalda Guedes, diretora de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Sogrape “a distinção é o reconhecimento do trabalho desenvolvido na área da Sustentabilidade e no âmbito do programa Seed the Future, e dá-nos ainda mais motivação para continuarmos empenhados em sustentar o nosso planeta para as gerações vindouras e em garantir que o vinho e a sua cultura possam ser preservados para aqueles que nos sucedem.”

VINHA DA CASA AMÉRICO CERTIFICADA COM RESÍDUO ZERO

A Casa Américo Wines obteve a certificação Resíduo Zero para a vinha da Quinta do Paço, a primeira da Península Ibérica certificada pelo ZERYA®, referência que garante a produção de alimentos seguros e rentáveis através de um sistema de produção sustentável, amigo do ambiente e capaz de satisfazer as necessidades dos consumidores. A certificação Resíduo […]

A Casa Américo Wines obteve a certificação Resíduo Zero para a vinha da Quinta do Paço, a primeira da Península Ibérica certificada pelo ZERYA®, referência que garante a produção de alimentos seguros e rentáveis através de um sistema de produção sustentável, amigo do ambiente e capaz de satisfazer as necessidades dos consumidores.
A certificação Resíduo Zero permite o uso combinado de fitofármacos de origem química e biológica, fauna auxiliar e controlo biotecnológico, desde que se obtenha um produto de qualidade livre de resíduos de pesticidas. Ou seja, não se restringe ao uso específico de determinados produtos. Inclui também uma a boa gestão da flora, fauna e águas pluviais, como acontece na Quinta do Paço, onde há muros dos patamares que servem de resguardo a cobras e lagartos, manchas de bosque que são zonas de refúgio para os animais, jardins com sebes de alfazema e outras plantas capazes de atrair polinizadores, enrelvamento natural que permite uma maior infiltração e a possibilidade de encaminhamento de águas pluviais para uso posterior em rega.
Uma vinha com certificação Resíduo Zero é mais sustentável, porque utiliza todos os recursos com mais eficiência, contribuindo para uma menor pegada ecológica e para a promoção da biodiversidade.

Sustainable Wine Growing certifica Herdade dos Grous e Quinta de Valbom

Sustentabilidade Grous Valbom

O projecto alentejano Herdade dos Grous e o duriense Quinta de Valbom acabam de receber a certificação da Sustainable Winegrowing Portugal, no âmbito do Referencial Nacional de Certificação de Sustentabilidade do Sector Vitivinícola, criado pelo Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) e promovido pela ViniPortugal. Esta certificação foi a primeira a ser atribuída pela […]

O projecto alentejano Herdade dos Grous e o duriense Quinta de Valbom acabam de receber a certificação da Sustainable Winegrowing Portugal, no âmbito do Referencial Nacional de Certificação de Sustentabilidade do Sector Vitivinícola, criado pelo Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) e promovido pela ViniPortugal.

Esta certificação foi a primeira a ser atribuída pela Certis, entidade auditora que desenvolveu, na Herdade dos Grous e na Quinta de Valbom, um trabalho de avaliação de todos os critérios do referencial — que tem forte foco nas áreas Gestão e Melhoria Contínua, Ambiental, Social e Económica — em colaboração com equipa de Sustentabilidade destes projectos.
Para a obtenção da certificação, é necessário o agente económico cumprir com uma série de requisitos pré-estabelecidos. Estes requisitos percorrem todo o método de produção, desde a vinha até à expedição do produto, numa análise profunda de todos os intervenientes no processo.

Luís Duarte, enólogo chefe e director geral, comenta: “Esta certificação é um passo muito importante para a nossa empresa! Depois de a Herdade dos Grous ter tido a primeira certificação em Produção Sustentável pelo Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo, aderir à certificação Sustainable Winegrowing Portugal foi uma decisão natural, até pela possibilidade de incluir a nossa área de produção localizada no Douro, a Quinta de Valbom. Na verdade, desde o início do projecto da Herdade dos Grous, que começou com a plantação de 21ha de vinha em 2002, sempre houve uma preocupação e respeito pela Natureza. Em 2012, com a aquisição da Quinta de Valbom, a filosofia foi exactamente a mesma. Continuamos empenhados em investir fortemente na componente de sustentabilidade através da adopção de práticas de agricultura regenerativa e biológica em ambas as regiões, bem como na gestão da biodiversidade, da água, da energia, dos resíduos e a utilização de materiais mais sustentáveis nas embalagens dos produtos”.

PSVA2.0: Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo dá mais um passo

PSVA2.0

O PSVA2.0 foi agora apresentado pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CRVA), a nova e melhorada versão do Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo, lançado em 2015. O PSVA2.0 resulta de uma parceria com a ANP/WWF (Associação Natureza Portugal e World Wide Fund for Nature) e a Universidade de Évora, num protocolo assinado em 2022. […]

O PSVA2.0 foi agora apresentado pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CRVA), a nova e melhorada versão do Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo, lançado em 2015. O PSVA2.0 resulta de uma parceria com a ANP/WWF (Associação Natureza Portugal e World Wide Fund for Nature) e a Universidade de Évora, num protocolo assinado em 2022.

O objectivo, segundo a CVRA, é que os produtores aderentes ao PSVA – que representam já 58% da área total de vinha do Alentejo – possam, através da utilização mais responsável dos recursos necessários à cultura das vinhas, tornar a produção mais resiliente e adaptada às condições naturais, no fundo, “manter o Alentejo tal como o conhecemos e, independentemente do passar dos anos, garantir que os vinhos têm a mesma qualidade, sem comprometer o ambiente e respondendo da melhor forma possível às crescentes pressões derivadas das alterações climáticas”, explica João Barroso, coordenador do Programa de Sustentabilidade.

A CVRA descortina, ainda, que esta revisão do PSVA foi feita sob um olhar atento para vertentes como a biodiversidade, pesticidas, clima e água e a nova versão passa agora a incluir dois novos capítulos, perfazendo um total de 20. “Acrescentou-se uma secção destinada à ‘Resiliência e adaptação às alterações climáticas’, na qual se podem encontrar variáveis como medidas de adaptação e mitigação às mudanças climáticas, ou a avaliação da necessidade de água ou a pegada de carbono; e incluiu-se um capítulo sobre ‘Economia Circular’, onde se destacam questões relacionadas com materiais e equipamentos ou com subprodutos e resíduos de vinificação”.

Foram mantidos os 171 critérios de avaliação da primeira versão do programa, mas 74% foram melhorados e foram incluídos 29 novos itens, dando-se destaque a variáveis como o uso de castas mais resilientes e de diversidade genética; a eficiência dos factores de produção (como água e eletricidade); a promoção do consumo responsável de vinhos junto dos consumidores; a equidade salarial entre géneros; ou, ainda, o contributo para a inserção social de pessoas com deficiência.

Grandes Escolhas retoma a parceria com Green Cork no evento VINHOS & SABORES

Sustentabilidade

A Grandes Escolhas, retoma a parceria com a Green Cork, para a edição de 2023 do evento VINHOS & SABORES. O Green Cork já conseguiu reciclar mais de 500 Ton de rolhas de cortiça usadas e já foram plantadas mais 1.400.000 árvores autóctones, contribuindo para uma crescente capacidade instalada de absorção de CO2, assim como […]

A Grandes Escolhas, retoma a parceria com a Green Cork, para a edição de 2023 do evento VINHOS & SABORES.

O Green Cork já conseguiu reciclar mais de 500 Ton de rolhas de cortiça usadas e já foram plantadas mais 1.400.000 árvores autóctones, contribuindo para uma crescente capacidade instalada de absorção de CO2, assim como já foi evitada a emissão de várias Toneladas.

Mas queremos aumentar as rolhas recicladas e árvores plantadas, e por isso contamos com a sua visita e participação. Visite-nos, receba o seu rolhitas e colabore na recolha.

Saiba mais sobre as parcerias do evento Vinhos & Sabores no âmbito da sustentabilidade AQUI.

Quinta do Paral integra Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo

Quinta Paral Programa Sustentabilidade

O Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo (PSVA), desenvolvido pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), continua a integrar cada vez mais produtores de vinho da região, sendo a Quinta do Paral a 14ª adega a ver certificadas as suas práticas sustentáveis de viticultura e vinificação. O PSVA, que analisa as empresas em 3 sectores […]

O Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo (PSVA), desenvolvido pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), continua a integrar cada vez mais produtores de vinho da região, sendo a Quinta do Paral a 14ª adega a ver certificadas as suas práticas sustentáveis de viticultura e vinificação.

O PSVA, que analisa as empresas em 3 sectores — Viticultura, Adega, Viticultura & Adega — avaliou a Quinta do Paral quanto à Viticultura & Adega.

“Este certificado só veio comprovar as diversas práticas sustentáveis que temos vindo a implementar desde sempre, na nossa área vitivinícola. Um exemplo disso é o cuidado que temos tido com a conservação das nossas vinhas, a redução do uso de fitofármacos que permitiu a melhoria do ecossistema, levando a uma recuperação da fauna e da flora envolvente, como refletido nas nossas Vinhas Velhas”, comenta Luís Leão, responsável de enologia da Quinta do Paral.

Em relação ao Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo, a CVRA declara: “O sector vitivinícola tem uma dependência total dos recursos naturais, da energia solar, de condições climatéricas apropriadas, água limpa e potável, e de solos saudáveis, devendo haver uma integração bem-sucedida destes elementos de forma ecologicamente sã. A CVRA considera ser uma prioridade a protecção e valorização destes activos naturais através de práticas sustentáveis exercidas por colaboradores altamente qualificados”.

Real Companhia Velha certificada pela Sustainable Winegrowing Portugal

Real Companhia Velha Sustainable

A Real Companhia Velha acaba de ver as suas práticas de sustentabilidade serem reconhecidas, com a certificação pela Sustainable Winegrowing Portugal, no âmbito do Referencial Nacional de Certificação de Sustentabilidade do Sector Vitivinícola, criado pelo Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) e promovido pela ViniPortugal. Com reconhecimento a nível internacional, esta certificação foi a […]

A Real Companhia Velha acaba de ver as suas práticas de sustentabilidade serem reconhecidas, com a certificação pela Sustainable Winegrowing Portugal, no âmbito do Referencial Nacional de Certificação de Sustentabilidade do Sector Vitivinícola, criado pelo Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) e promovido pela ViniPortugal.

Com reconhecimento a nível internacional, esta certificação foi a primeira a ser atribuída pela APCER – Associação Portuguesa de Certificação, entidade auditora que desenvolveu um trabalho de exaustiva avaliação, em estreita colaboração com um grupo interno criado para o efeito.

Pedro Silva Reis, presidente da Real Companhia Velha, reconhece o empenho e esforço de toda a equipa de sustentabilidade da empresa, numa task force liderada por Catarina Lemos — administradora com os pelouros de produção e qualidade — que acabou por alcançar a certificação de nível A, a mais elevada.

Verallia e Grandes Escolhas estabelecem parceria na feira Vinhos & Sabores

VERALLIA

A Verallia Portugal S.A. e a revista Grandes Escolhas estabeleceram uma parceria de colaboração no âmbito da feira Grandes Escolhas Vinhos & Sabores, que irá decorrer de 14 a 16 de outubro na Feira Internacional de Lisboa (FIL), localizada no Parque das Nações, em Lisboa. A feira Vinhos & Sabores é o maior evento de […]

A Verallia Portugal S.A. e a revista Grandes Escolhas estabeleceram uma parceria de colaboração no âmbito da feira Grandes Escolhas Vinhos & Sabores, que irá decorrer de 14 a 16 de outubro na Feira Internacional de Lisboa (FIL), localizada no Parque das Nações, em Lisboa.

A feira Vinhos & Sabores é o maior evento de vinhos de Portugal, eleita para proporcionar uma experiência única a milhares de visitantes, tendo oportunidade de interagirem com os mais de 400 produtores portugueses presentes, provando em primeira mão vinhos e sabores únicos.

Durante a feira serão abertas para degustação e prova cerca de 10 mil garrafas de vidro que, através da parceria, serão recolhidas pela Verallia Portugal S.A. e encaminhadas para reciclagem, garantindo o seu correto destino.

Com a recolha destas garrafas, as duas entidades têm como objetivo sensibilizar os consumidores em geral e a restauração em particular para a importância do processo de reciclagem. Assim, garantimos a produção de novas garrafas de vidro através da utilização do vidro reciclado.

Tanto a Verallia como a Grandes Escolhas partilham dos mesmos valores de responsabilidade social, da promoção da sustentabilidade e defesa do ambiente e dos recursos naturais, aliando-se em ações como estas, que permitirão um mundo melhor.