Home-SliderNotíciaNotícias

Dão e Vinhos Verdes celebram 110 anos de demarcação

By 20 Setembro, 2018 Sem comentários

Faltavam ainda dois anos para a implantação da República em Portugal e já as regiões do Dão e dos Vinhos Verdes conseguiam o reconhecimento do seu estatuto como Regiões Demarcadas pela carta régia de 18 de Setembro de 1908, assinada por D. Manuel II. Foi o início de uma nova era na defesa e promoção dos vinhos das duas regiões, mas foi também o culminar de um longo processo reivindicativo das suas gentes, que finalmente viram assim abertas as possibilidades de comercialização dos seus vinhos.
A efeméride foi o pretexto para uma gala promovida pelas duas CVR’s, no Palácio da Bolsa, no Porto, que contou com presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e de mais de uma centena de convidados. Para aqueles que porventura estranhassem o facto pouco habitual entre nós de ver duas regiões associarem-se em iniciativas comuns, tanto Arlindo Cunha como Manuel Pinheiro, respectivamente, presidentes da CVR Dão e dos Vinhos Verdes, trataram de esclarecer as dúvidas: «Faz todo o sentido, são vinhos complementares e assim a colaboração torna-se mais fácil», disse Manuel Pinheiro.
Ambos os presidentes, nas suas intervenções, chamaram a atenção para a importância do sector vitivinícola na economia nacional, para o peso que o mesmo tem nas exportações e para capacidade de autorregulação que a fileira demonstra e que tem permitido o crescimento sustentado das vendas mesmo em períodos de crise. A importância da demarcação, como foi bastante acentuado, contribui para dar valor aos produtores e valorizar o produto do seu trabalho.
Foi por aqui que a intervenção do Presidente Marcelo também pegou. Depois de saudar os agentes económicos e os seus representantes, elogiou a capacidade de reinvenção que os portugueses têm dado mostras, apontou o bom exemplo que esta festa demonstrou e incentivou produtores e empresários a serem cada mais ambiciosos nos seus objectivos.
J.G.

Escreva um comentário