Notícias Vinho

Poças: 100 anos dedicados ao Douro

By 10 Janeiro, 2019 Sem comentários

É em 2018 que se completa o centenário desta empresa, das (muito) poucas que, no sector do Vinho do Porto, ainda se conservam nas mãos da mesma família. Foram praticamente 70 anos de dedicação exclusiva ao generoso mas, nos últimos 30, a Poças entrou decididamente no negócio dos DOC Douro. A consistência de qualidade dos seus vinhos coloca-a sem qualquer dúvida entre as referências da região e do sector.

TEXTO João Paulo Martins
FOTOS Cortesia do produtor

Comemorar 100 anos é um momento único e por isso a empresa Poças irá fazer deste um ano de comemorações várias que incluirão várias parcerias culturais em áreas como a música, a literatura, a arte pública e o teatro. O momento da celebração foi aproveitado para também mostrar o novo centro de visitas, situado nas Devesas, onde está a sede da empresa.
Há muito que se fazia sentir a falta deste espaço, porque, ao estar arredada da marginal de Gaia, a Poças não tinha condições para receber visitantes e clientes. Aproveitou-se um armazém e fez-se uma intervenção minimalista, mas que vai permitir receber os visitantes e proporcionar provas temáticas em ambiente confortável. Há também a ideia, o que é mais um elemento no conjunto das celebrações, de retomar uma produção antiga na empresa – vermute – e que há muito tinha sido abandonada. Para o efeito utilizar-se-ão os botânicos das quintas do Douro.
Lá mais para o Outono sairá a público um vinho – Branco da Ribeira – que se pretende venha a ser o topo de gama da Poças, onde não se pouparam cuidados técnicos para conseguir um vinho de referência; são apenas 1500 litros provenientes de uma parcela com 5 hectares, instalada em solos graníticos de Numão, na quinta de Vale de Cavalos, adquirida em 1988. O vinho é feito a partir de Códega e Arinto e fermentou em barricas novas de 300 litros. É um vinho onde a viticultura é feita a pinça e a enologia minimalista mas tão cuidadosa quanto possível.
As provas que fizemos no momento da apresentação, com as explicações de Jorge Pintão, enólogo da empresa, incluíram também um Porto branco 10 Anos que ainda está em aprovação no IVDP e que vai ser o primeiro branco com idade a entrar no portefólio. Houve aqui o cuidado de colocar este branco velho num patamar o mais afastado possível do Tawny 10 Anos, não havendo por isso lugar a confusões ou comparações. Também foi provado o vintage 2016, que a Poças declarou, acompanhando assim a grande maioria do sector que, ao declarar o 2016 como ano clássico – para usar a terminologia das empresas inglesas – voltou a trazer o Porto Vintage para as bocas do mundo.

Em relação à vindima de 2017, Jorge salientou a dificuldade tremenda que foi conseguir ter boas uvas, porque tiveram de parar a vindima em vários momentos, aguardando maturações correctas. Foi assim que se conseguiu, por exemplo, que o Branco da Ribeira resultasse com uma perfeita maturação mantendo níveis de acidez de cerca de 7,2 gramas/litro, valores elevados e ainda mais raros se pensarmos que estamos no Douro. Como nos disse o enólogo, “o objectivo é conseguir explorar as diversidades que o Douro permite e isso obriga a um conhecimento minucioso das parcelas e das características diferenciadas que apresentam”.
E é sempre bom recordar que a Poças foi das primeiras empresas do sector do Vinho do Porto a apostar nos DOC Douro, desde 1990. Marcas como Vale de Cavalos foram sempre pensadas com sendo destinadas ao mercado externo e hoje fazem 300.000 garrafas e continuam a crescer. Diz Jorge, com orgulho: “Somos a sexta maior exportadora de DOC Douro do sector.” Na reorganização do portefólio desapareceu a marca Poças Reserva, agora incorporada na Vale de Cavalos. O branco integra uvas de Numão e outras compradas nas terras altas de Murça, uma das zonas mais procuradas pela qualidade das uvas de variedades brancas.

  • Coroa d’Ouro
    Douro, Branco, 2017

    15.5
    guarda em pé
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Poças Vintage
    Porto, Vintage, Licoroso, 2016

    17.5
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Coroa d’Ouro
    Douro, Tinto, 2016

    15.5
    guarda em pé
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Vale de Cavalos
    Douro, Branco, 2017

    16.5
    guarda em pé
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Vale de Cavalos
    Douro, Tinto, 2016

    16.0
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Branco da Ribeira
    Douro, Branco, 2017

    17.5
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor

Edição Nº16, Agosto 2018

Escreva um comentário