Home-SliderNotíciaNotícias

António Ventura, 40 vindimas

By 29 de Novembro, 2021 Sem comentários

TEXTO Luís Lopes

Nome maior entre a enologia portuguesa, António Ventura comemorou recentemente, num evento/jantar concorrido e emotivo, realizado na Quinta do Gradil, as suas 40 vindimas. Enquanto profissional, António Ventura estreou-se na colheita de 1981 e, de então para cá, tem apoiado os projectos de muitas grandes e pequenas empresas, ao ponto de se tornar num dos enólogos que mais vinhos tem sob sua responsabilidade. A equipa de enologia que lidera e onde tem como braço direito o também enólogo Rafael Neuparth, vinificou em 2021 nada menos que 64,5 milhões de litros de vinho em diversas regiões do país, sobretudo Lisboa e Tejo, mas também Alentejo ou Douro. No total, António Ventura apoia directamente, com o seu talento e experiência, 22 produtores, o mais pequeno fazendo pouco mais de 30 mil litros, o maior, 27 milhões…

Todos ou quase todos fizeram questão de marcar presença no jantar comemorativo da marca alcançada pelo enólogo: 40 vindimas. Desde casas em que já não trabalha, mas que ajudou a criar e a firmar no mercado (como a Herdade do Rocim, de Catarina Vieira), até gigantes como a Adega Cooperativa de Almeirim ou de S. Mamede da Ventosa, passando própria casa anfitriã, o grupo Parras, de Luís Vieira, empresa que Ventura apoia praticamente desde que começou a exercer a profissão. Sovibor, Herdade da Ajuda, Herdade do Monte Branco, Altas Quintas, Herdade do Gamito, Abegoaria, Quinta do Côro, Quinta Vale de Fornos, Paço das Cortes, Quinta da Badula, Romana Vini, Encostas do Atlântico ou Quinta da Atela, foram algumas das casas vitivinícolas cujos responsáveis quiseram ter ali uma palavra para agradecer e valorizar o trabalho do enólogo.

Mas tanto ou mais do que o profissional, foi a pessoa de António Ventura que foi homenageada no “palácio amarelo” da Quinta do Gradil. Uma pessoa generosa, afável, bondosa, sempre disponível para ensinar (e para aprender, como ele não se cansou de referir!), para ajudar a resolver problemas inesperados ou para aceitar novos desafios dentro da adega. Também na relação com os jornalistas especializados (e foram vários os presentes), António Ventura nunca deixou de ter um comportamento exemplar ao longo da sua carreira, de espírito aberto e transparente, partilhando todo o seu vasto conhecimento, mas, ao mesmo tempo, senhor de uma humildade e desprezo pelo protagonismo que só os verdadeiramente grandes conseguem ter. Pela parte que me cabe, caríssimo António Ventura, o meu muito obrigado.

Siga-nos no Instagram
Siga-nos no Facebook
Siga-nos no LinkedIn

Escreva um comentário