Home-SliderNotícias Vinho

Biaia: A(l)titude e muito carácter

By 7 de Setembro, 2021 Sem comentários

O projecto Quinta da Biaia — da Beira Interior — começou de mansinho, só para agora nos surpreender com um portfólio que carrega todo o seu potencial. Vinhos cheios de personalidade, sentido de lugar, e muita frescura.

 

TEXTO: Mariana Lopes          

(crédito nas fotos: Domínios do Interior)

 

Quem ainda não acordou para a Beira Interior devia, de facto, acordar para a vida. Cada vez mais são os projectos desta região que nos mostram o seu valor, como região portuguesa de grandes vinhos brancos e tintos. Localizada no interior-centro do país, a Beira Interior divide-se em três sub-regiões — Castelo Rodrigo, Pinhel e Cova da Beira — e a Quinta da Biaia situa-se na primeira, especificamente em Figueira de Castelo Rodrigo. O seus 29 hectares de vinha estendem-se pela encosta da Serra da Marofa (que vai até aos 950 metros de altitude), a uma cota média de 750 metros. Aqui, os solos são, sobretudo, de granito, com cerca de 30% de origem xistosa.

Hoje, este projecto é fruto do trabalho de três sócios, Carlos Flor, Ricardo Lopes Ferro e Luís Leocádio. No entanto, a Quinta da Biaia já leva muitos anos e alguns séculos de história: No século XVII, Pedro Jacques de Magalhães — herói da batalha de Castelo Rodrigo (7 de Julho de 1664) — escolheu para preceptora dos seus filhos uma jovem órfã, de nome Beatriz Sousa Lopes. As crianças, que não tardaram em afeiçoar-se à rapariga, chamavam-lhe, carinhosamente, “Biaia”. Quando os meninos Magalhães cresceram, Beatriz regressou às suas propriedades, que ficaram, desde então, conhecidas como Quinta da Biaia. Carlos Flor e Ricardo Lopes Ferro são amigos de infância, e são também os herdeiros das terras da Biaia. Com a ambição de com elas criar um projecto vitivinícola de referência, a dupla — com backgrounds ligados à Gestão e à Engenharia — juntou-se ao enólogo duriense Luís Leocádio e, juntos, lançaram o primeiro vinho da Quinta da Biaia em 2014.

As vinhas dividem-se em três grupos de parcelas, todas em produção biológica: as Vinhas da Alvandeira (solo argilo-limoso), com as tintas Touriga Nacional, Tinta Roriz, Jaen, Touriga Franca, Mourisco e Rufete, e as brancas Síria, Fonte Cal e Sauvignon Blanc; Vinhas do Souto (solo de transição de granito e xisto), com Caladoc, Mourisco, Pinot Noir e Chardonnay; e a Vinhas das Lameiras (estas na Vermiosa, em solo de granito e quartzo), onde crescem as brancas Arinto, Fernão Pires Chardonnay e Síria, e as tintas Touriga Nacional e Tinta Roriz. São estas videiras com idades e em solos diferentes que, juntamente com a altitude — que traz frio, amplitudes térmicas, baixa precipitação e elevada insolação — a barreira natural que a serra representa, e o enquadramento dos rios Douro, Côa e Águeda, originam um portfólio de vinhos originais, sérios, com muito carácter, cuja mais recentes colheitas foram recentemente apresentadas.

Biaia vinhos

Quinta da Biaia

O portfólio começa nos Biaia branco e tinto. O branco 2019 é um lote de Síria (80%), Fernão Pires e Arinto que fermenta em cuba de inox e estagia durante oito meses na mesma. O tinto, do mesmo ano, é de Touriga Nacional (60%), Touriga Franca e Tinta Roriz. Aqui, a fermentação é feita separadamente, por casta, e metade do lote estagia oito meses em barricas usadas de carvalho francês. Segue-se a gama Quinta da Biaia 750 (uma referência à altitude das vinhas), com cinco vinhos, três brancos, um rosé (estes quatro monovarietais) e um tinto. O 750 Síria 2019 fermenta em inox e estagia sobre borras finas, em barricas usadas, durante oito meses. Já o 750 Arinto 2019 passa por semelhante processo, mas 25% das barricas onde estagia são novas e é feita bâtonnage semanal. O 750 Chardonnay 2019, por sua vez, tem uma vinificação igual à do Arinto. O rosé 750 é um monovarietal de Mourisco, de 2019, que também fermenta em inox e estagia em barricas (25%) novas, com bâtonnage, por oito meses. Por último, o 750 tinto 2018 tem no seu lote Touriga Nacional e Franca em partes iguais, e 20% de Rufete, castas que fermentam em separado. O estágio é depois feito em barricas, durante um ano. Passando para a gama Reserva, surge um branco de Síria e um tinto de lote. O Reserva branco 2019 tem a particularidade de estagiar em barricas de carvalho húngaro, além do francês, sobre borras finas durante nove meses, depois da fermentação em inox. O Reserva tinto, de 2017, tem Touriga Nacional (40%), Touriga Franca (40%) e Jaen, que fazem maceração pré-fermentativa, e o lote depois fermenta quatorze dias em inox e estagia trinta e dois meses em carvalho francês. A gama de topo, inclui dois Fonte da Vila Single Vineyard, um branco de Síria 2017 e um tinto de lote, de 2015. O primeiro fermenta em inox e estagia em barricas de carvalho francês por trinta meses, sobre borras finas, e em garrafa durante quatro. O tinto é vinhas velhas de Rufete, Touriga Nacional, Touriga Franca, Baga, Jaen e Mourisco, entre outras. Este vinho é o resultado de uma selecção criteriosa ainda na vinha, e inicia a fermentação em lagar, com pisa a pé, terminando em cuba de inox, ao longo de trinta dias. O estágio é feito em barricas francesas novas, por cinquenta meses, e em garrafa, por oito. Para complementar o portfólio, um colheita tardia de Síria, o Quinta da Biaia Late Harvest 2017. Os bagos atingidos por podridão nobre (fungo Botrytis Cinerea), foram colhidos entre 7 e 8 de Dezembro, e o mosto resultante fermentou durante oito meses em barricas e depois em garrafa durante vinte.

Os vinhos da Quinta da Biaia, agora com nova imagem, da autoria do Atelier Rita Rivotti, são distribuídos pela Vinalda.

(Artigo publicado na edição de Novembro 2020)

  • Quinta da Biaia 750
    Beira Interior, Chardonnay, Branco, 2019

    17
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Quinta da Biaia Late Harvest
    Beira Interior, Síria, Branco, 2017

    17
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Quinta da Biaia
    Beira Interior, Reserva, Branco, 2019

    17.5
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Quinta da Biaia Fonte da Vila Single Vineyard
    Beira Interior, Tinto, 2015

    18.5
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Quinta da Biaia 750
    Beira Interior, Mourisco, Rosé, 2019

    17.5
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Quinta da Biaia 750
    Beira Interior, Síria, Branco, 2019

    17
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Biaia
    Beira Interior, Tinto, 2019

    16.5
    guarda em pé
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Quinta da Biaia
    Beira Interior, Reserva, Tinto, 2017

    17.5
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Quinta da Biaia 750
    Beira Interior, Tinto, 2018

    17
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Quinta da Biaia Fonte da Vila Single Vineyard
    Beira Interior, Branco, 2017

    18
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
  • Quinta da Biaia 750
    Beira Interior, Arinto, Branco, 2019

    17
    guarda inclinada
    *PVP médio indicado pelo produtor
Siga-nos no Instagram
Siga-nos no Facebook
Siga-nos no LinkedIn

Escreva um comentário