Home-SliderNotíciaNotícias

Grupo Gran Cruz cresce e agora chama-se Granvinhos

By 11 de Janeiro, 2023 Sem comentários

Granvinhos é a nova denominação do grupo até agora apelidado de Gran Cruz. A recente designação decorre do processo de fusão por incorporação das empresas C. da Silva e Companhia União dos Vinhos do Porto e Madeira, na Gran Cruz Porto, agora redenominada para Granvinhos. “Esta fusão enquadra-se numa estratégia de racionalização e crescimento do grupo”, revela a Granvinhos, em comunicado de imprensa, que adianta ainda: “Na sequência deste processo, todas as actividades de produção e comercialização de vinhos, bem como da distribuição das bebidas espirituosas da La Martiniquaise em Portugal, passam a estar concentradas no grupo Granvinhos”.

Contudo, esta alteração da denominação não afecta individualmente as designações comerciais das marcas já existentes e de maior destaque dentro das empresas fusionadas: Porto Cruz, Porto Dalva, Porto Presidential e C. da Silva mantêm os seus nomes no mercado.

Mas não é só o novo nome que o grupo agora comunica, há também aquisições importantes e recentes, que vão permitir, além do reforço da presença nas regiões onde o grupo já opera, a expansão para outras Denominações de Origem. Através da aquisição de 60% do capital social da Vicente Faria Vinhos S.A., a Granvinhos passa a deter o controlo accionista desta empresa, “a segunda maior empresa exportadora de vinhos do Douro”, refere o grupo. Adicionalmente, é com esta compra que a Granvinhos inicia a comercialização de Vinho Verde e vinho de Lisboa, num total de mais de 4 milhões de garrafas por ano.

A Granvinhos adquiriu, ainda, uma marca às Caves Borlido, “Albergaria”, criada em 1972, que comercializa dois dos licores portugueses mais populares no mercado nacional: o Licor de Amêndoa Amarga e o Licor de Ginja, com vendas superiores a um milhão de garrafas por ano.

“Na forja está ainda a construção de uma moderna adega, eficiente e sustentável, na Quinta do Cedro, no Rodo, em Peso da Régua. Trata-se de um centro de vinificação dotado de capacidade para vinificar mais de 8 mil toneladas de uva, com tecnologia adaptada à produção quer de vinho do Douro, quer do Porto. O projecto pretende ainda dar resposta ao referencial de sustentabilidade ambiental, económico e social, com que a empresa se quer comprometer. Esta adega insere-se na Agenda Mobilizadora para a Inovação Empresarial ‘Vine and Wine Portugal’, que a Granvinhos lidera no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência português (PRR)”, adianta o grupo, no mesmo comunicado de imprensa.

Siga-nos no Instagram
Siga-nos no Facebook
Siga-nos no LinkedIn

Escreva um comentário