Sabores

Romã

By 17 Novembro, 2017 Sem comentários

TEXTO Ricardo Dias Felner FOTOS Ricardo Palma Veiga

NORMALMENTE, anunciam a transição do Verão para o Outono, mas pode encontrar frutos no mercado já em meados de Setembro, quando ainda está calor. Até há uns anos, quase 100% das romãs encontradas por cá vinham de Espanha. Hoje, a pequena produção algarvia viu o cultivo estender-se ao Alentejo, onde se fazem colheitas precoces — e ainda bem porque, quando o tempo ainda está quente, há poucas coisas tão refrescantes como uma água com sementes de romã.

Não é um fruto fácil, todavia. Acontece com as romãs, como acontece com os humanos. As romãs são deliciosas mas nem todas as pessoas sabem comê-las. Metidas para dentro, quando se revelam podem ser demasiado expansivas. No afã apressado de conseguirmos chegar-lhes às sementes, há paredes de cozinha que ficam pinturas abstractas.

Facilita sabermos um truque simples: corte a romã em duas metades, na horizontal; agarre em cada uma delas, a parte aberta virada para baixo; bata com as costas de uma colher de pau no topo da casca e as sementes vão caindo, soltando-se dos seus casulos.

No Médio Oriente, onde são mais usadas, esta técnica é conhecida, sendo hoje em dia divulgada nos livros do popular chef Yotam Ottolenghi, de origem israelita. Ottolenghi cozinha-a com beringela assada e iogurte grego, mas pode também abrilhantar uns cuscus marroquinos ou umas almôndegas estufadas libanesas.

A romã entrou desde sempre em saladas e sumos, sendo que os egípcios até as fermentavam para fazer vinho. Por causa da quantidade de sementes, quer a mitologia grega, quer a literatura cristã referem-na como símbolo de fertilidade.

Quem não tiver paciência para descascar o fruto, sempre pode ir directo a um já descascado. Em lojas indianas, como as do Martim Moniz, em Lisboa, são vendidas só as sementes secas, em saquinhos que custam 1,5€ (100gr). O doce e o ácido são mais concentrados, mas o sabor está lá. Experimente-as numa salada fresca com queijo feta, folhas verdes (agriões, espinafres), nozes ou amêndoas torradas.

Escreva um comentário