Home-SliderNotíciaNotícias

Vinhos do Alentejo e Águas de Portugal juntam-se no combate às alterações climáticas

By 9 de Abril, 2021 Sem comentários

Os Vinhos do Alentejo (CVRA – Comissão Vitivinícola Regional Alentejana) e a Águas de Portugal (AdP VALOR) acabam de assinar um protocolo de dois anos no sentido do combate às alterações climáticas, que surge como resposta à crescente desertificação do Alentejo.

O projecto AQUA VINI — que resulta deste protocolo e que já teve início em Março, no Monte da Ravasqueira — é financiado pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e pretende fomentar a reutilização de água na actividade vitivinícola. 

Para o efeito, o projecto reforçará acções no âmbito do reaproveitamento de lamas de estações de tratamento de águas residuais (as ETAR), da sustentabilidade e economia circular e dos projectos de inovação, estando alinhado com o propósito do Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo (PSVA), lançado em 2015: “Sabendo nós que a agricultura é uma das maiores responsáveis pelo gasto de água em Portugal – cerca de 75% da água ao nível nacional é utilizado por esta área – percebemos que a nossa responsabilidade é acrescida, que precisamos de agir e agir hoje no desenvolvimento de tecnologias e projectos que garantam que, no futuro, teremos uma viticultura que é sustentável em todo o país, possibilitando um futuro mais risonho para as pessoas, para os negócios e para o planeta”, refere João Barroso, coordenador do PSVA.

A Águas de Portugal, por sua vez, explica que “o AQUA VINI é um projeto pioneiro que permitirá estudar a reutilização de água na atividade de regadio, os efeitos desta aplicação no desenvolvimento das culturas irrigadas e o impacto nos receptores ambientais solo e recursos hídricos, bem como nos sistemas de rega”.

A CVRA relembra que “Portugal está em risco de escassez de água até 2040, segundo o World Resources Institute, sendo o Alentejo uma das regiões que regista um mais baixo índice de precipitação e uma das mais afectadas por episódios extremos de ondas calor”.

Siga-nos no Instagram
Siga-nos no Facebook
Siga-nos no LinkedIn

Escreva um comentário